O Que É Perseguição No Trabalho + 6 Dicas Para Lidar Com Essa Situação

Veja na matéria de hoje o que é perseguição no trabalho e confira 7 dicas sobre como lidar com esse tipo de situação no ambiente corporativo

A perseguição no trabalho também é muito conhecida como assédio moral, entretanto, nem sempre é fácil identificar essa conduta no ambiente corporativo.

Nesse sentido, muitas vezes ela começa como simples “brincadeiras” ou com sutis comentários sobre situações de pouca importância.

Todavia, com o passar do tempo, pode se tornar algo muito mais sério e gerar desgaste emocional e transtornos psicológicos para a vítima.

Você se sente acuado(a) no trabalho e suspeita que está sofrendo perseguição no ambiente corporativo? Se está se sentindo assim, precisa acompanhar nosso post de hoje!

Afinal, falaremos sobre os sinais mais comuns nesses casos, bem como, te deixaremos 6 dicas para se ver livre dessa situação traumática. Confira e tenha uma ótima leitura!

Entenda o que é perseguição no trabalho

Primeiramente, saiba que a perseguição no trabalho se trata de ações realizadas por vontade própria e de modo totalmente consciente por um indivíduo. Isso ocorre de modo a desestabilizar outro profissional da mesma companhia.

Atualmente, existem 3 tipos de perseguição no ambiente de trabalho, também conhecidas como assédio moral. Elas podem ser:

Perseguição no Ambiente de Trabalho

  • Ascendente: pouco comum, ocorre quando um colaborador assedia um superior na escala hierárquica da organização;
  • Horizontal: muito comum, sempre se dá entre colegas de trabalho que estão no mesmo patamar (cargo e/ou salário) dentro da companhia;
  • Vertical: infelizmente, super comum. Esse tipo de assédio ocorre entre um colega que está em um nível hierárquico superior para com um colaborador que é subordinado a ele(a).

Em resumo, a perseguição no trabalho pode se dar através de piadas de mau gosto, “brincadeiras”, gestos ou até mesmo por ações que humilhem a vítima e a deixe em situações indignas e até degradantes.

Por isso, pessoas que sofrem com essa situação costumam desencadear adoecimento mental e físico. Bem como, passam a se sentir desmotivadas, chorosas, ansiosas, tristes e até deprimidas.

Por que esse tipo de situação ocorre? 5 sinais de que você passa por esse problema

Infelizmente, esse tipo de situação acontece por diversos motivos variados, dentre eles estão os seguintes:

Processo de perseguição no trabalho

  • Divergências mal resolvidas entre opiniões e pontos de vistas no local de trabalho;
  • Preconceitos, como homofobia, racismo e sexismo também são razões comuns para que isso ocorra;
  • Bem como, muitos colegas ou chefes têm esse tipo de conduta pois veem no colega uma “ameaça”. Ou seja, acreditam que o colaborador precisa ser detido para não alcançar melhores cargos e ser uma liderança.

Existem outros motivos para que a perseguição aconteça, todavia, esses são os motivos mais comuns para que essa perversidade exista.

Sob o mesmo ponto de vista, vamos te mostrar 5 sinais claros que existem quando a perseguição no trabalho está sendo praticada. Confira e veja se você está sendo vítima dessa grande injustiça:

1.      Críticas sem nenhuma fundamentação

Antes de mais nada, pessoas vítimas de perseguição costumam sofrer com duras críticas no ambiente corporativo.

Contudo, essas considerações nunca são fundamentadas e nem buscam a melhoria do colaborador.

Ao contrário, elas ocorrem apenas para menosprezá-lo e para que ele(a) se sinta fracassado(a) e incapaz.

Salientamos que as críticas devem ser para a evolução do profissional e também para o seu aprendizado. Ou seja, apenas receber “xingos” não é sinal de interesse no seu aprimoramento, combinado?

2.      Isolamento constante

Além disso, pessoas que estão sendo vítimas de perseguição na corporação costumam ser colocadas isoladas.

Afinal, o agressor deseja desestabilizar o seu adversário e fazê-lo se sentir cada vez mais só e acuado(a).

Desse modo, as vítimas passam a trabalhar em salas sozinhas, sem colegas e até mesmo têm o horário de almoço/lanche trocado para impedir a convivência com os demais funcionários.

3.      Provocações diárias

Conforme comentamos acima, as vítimas dessa situação passam por provocações diárias. Nesse sentido, é como se fosse o bullying escolar, entretanto, dentro da empresa.

Dessa forma, as piadas, grosserias e ironias fazem parte do dia-a-dia do colaborador. Bem como, as coisas podem aumentar com o passar do tempo e até se tornarem insuportáveis.

4.      Impedimento de crescimento na carreira

Ademais, é super comum que vítimas de perseguição no trabalho sejam impedidas de crescerem profissionalmente dentro da companhia.

Por isso, são retiradas injustamente de processos seletivos e sempre são “deixadas” de lado em oportunidades de melhoria de cargos.

Notamos que existe um desejo do perseguidor em manter a vítima sobre as suas garras o maior período de tempo possível.

5.      Comentários ofensivos (e até de cunho pessoal)

Por fim, além de críticas infundadas, a vítima também sofre com comentários ofensivos diariamente.

Ademais, há casos até de ofensas pessoais e de situações degradantes e que deixem o colaborador em total constrangimento.

Em síntese, a vida de quem é perseguido se torna um verdadeiro “inferno” dentro da companhia onde atua.

6 Dicas para lidar com a perseguição no trabalho

perseguição no trabalho

Após ver os sinais mais comuns desse tipo de situação, você percebeu que está sofrendo de perseguição no trabalho? Se sim, saiba agora o que fazer nesse caso, bem como, entenda o que a lei diz sobre isso. Confira!

1.      Cuide da sua saúde mental

De antemão, tente não se desestabilizar psicologicamente. Para isso, procure auxílio médico especializado com um(a) psicólogo(a), por exemplo.

Também é importante meditar, praticar atividades físicas e tentar ao máximo espairecer a cabeça. Afinal, sabemos que isso pode ser apenas algum atrito passageiro entre você e um colega.

Contudo, se os problemas persistirem por semanas ou grandes períodos, é necessário tomar alguma atitude.

2.      Busque conversar com o(a) perseguidor(a)

Primeiramente, recomendamos que você tente conversar de forma amigável com a pessoa que está te acuando.

Nesse sentido, é fundamental seguir nosso primeiro passo. Assim, poderá dialogar de forma serena e com as emoções sob controle.

Explique para o perseguidor o seu posicionamento e exponha o quanto a situação do assédio moral é prejudicial.

Dessa forma, espere alguns dias e observe se a conversa teve efeito positivo. Caso contrário, será necessário seguir as próximas dicas.

3.      Não haja por impulso

Infelizmente, muitas pessoas se descontrolam nesses casos e acabam perdendo os seus direitos. Ou seja, nada de bater boca no emprego e nem agredir verbalmente o colega.

Lembre-se de que é isso que ele quer: te desestabilizar. Caso o diálogo não tenha surtido nenhum efeito, haja com frieza e mantenha a cabeça no lugar.

Nesse sentido, você pode procurar um superior (hierárquico) para expor a situação e pedir que uma solução seja tomada.

Se ainda assim, nada se resolver, será necessário buscar outras soluções menos amigáveis.

4.      Procure aliados

Sob o mesmo ponto de vista, mantenha um ou dois amigos no local de trabalho. Isso vai te ajudar a se sentir menos isolado(a) e um pouco mais acolhido(a).

Infelizmente, pessoas que perseguem colegas tendem a disseminar mentiras e espalhar fofocas sobre a vítima. Desse modo, contar com alguns parceiros pode te ajudar a combater essa situação e, como consequência, melhorar o ambiente corporativo para você.

5.      Junte provas da situação e lute pelos seus direitos

Posteriormente a todas essas tentativas, caso nada resolva, é hora de dar um basta nessa situação. Para isso, você pode contactar um advogado ou o sindicato de que faz parte.

Salientamos que é essencial ter provas de que existe de fato um assédio moral acontecendo contra você.

Dessa forma, grave (ao menos o áudio) situações que comprovem a perseguição. Bem como, salve conversas do WhatsApp ou Telegram que atestem o assédio.

Em resumo, você pode juntar provas via e-mails, bilhetes e qualquer outro tipo de material. Nesse sentido, o importante é conseguir provar que está sendo vítima de uma pessoa que trabalha contigo.

Ah! Lembra-se dos aliados de que falamos acima? Eles serão importantes para testemunhar a seu favor caso realmente ocorra um processo em relação ao caso.

6.      Se for possível, procure outro emprego

perseguição no trabalho

Atualmente, é possível com ordem judicial você sair do emprego e receber todos os seus direitos trabalhistas.

Ou seja, é como se você fosse demitido(a) sem justa causa pela companhia. Nesse sentido, o juiz obriga a empresa a te desligar para evitar que o ciclo de perseguição continue por tempo indefinido.

Ressaltamos que a perseguição no ambiente corporativo ocorre mais do que imaginamos. Desse modo, ela sempre começa de forma sutil e parece ser totalmente inofensiva. Todavia, com o passar do tempo, torna-se algo insustentável para a vítima e pode levá-la a desenvolver graves problemas como depressão, Síndrome de Burnout e até a tentativas de suicídio.

Por isso, ler e falar sobre esse tipo de assunto é cada vez mais importante na sociedade em que vivemos, não é mesmo?

Envie esse post para seus colegas de trabalho e ajude mais pessoas a terem acesso a tais informações.

Esperamos que nosso post sobre perseguição no trabalho te ajude a se ver livre dessa situação. Se você curte ler sobre esse tipo de conteúdo, ative as notificações do nosso site!

Assim, você ficará por dentro de todas as nossas matérias sobre mercado de trabalho e carreira!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You May Also Like