Advertência No Trabalho: O Que é E Quando a Empresa Deve Usá-La?

A advertência no trabalho existe para punir determinadas atitudes de um funcionário.

Entretanto, você sabe quando a empresa deve fazer isso?

Essa é uma dúvida muito comum entre gestores e supervisores.

Afinal, não podemos demitir ou mesmo suspender um colaborador quando o erro cometido é relativamente simples.

O local de trabalho deve ser um ambiente tranquilo e produtivo.

Ademais, as normas de convivência e o manual de conduta da empresa existem para serem seguidos.

Nesse sentido, caso as regras sejam descumpridas você, enquanto dono ou gestor, precisa saber como aplicar advertência no trabalho.

Você tem dúvidas sobre como agir ou ainda não sabe do que ao certo estamos falando?

Fique conosco e leia esse artigo na íntegra!

Entenda de uma vez por todas como realizar esse tipo de correção no seu negócio. Confira!

Advertência no trabalho: Tudo o que você precisa saber

O que é advertência no trabalho?

Primeiramente, vamos entender do que se trata esse tipo de ação tomada pela empresa.

A advertência no trabalho é uma correção por escrito dada a um funcionário.

Assim, funciona como um sinal de alerta para o colaborador que descumpriu regras da organização.

Além disso, é importante ressaltar que a advertência indica que se o funcionário não mudar de atitudes, coisas piores podem acontecer a ele(a), como:

Desse modo, recomendamos que a advertência seja entregue ao funcionário com vistas à melhoria dele.

Ou seja, ela não é apenas uma punição ou uma conversa dura.

Muitos fatores levam a esse tipo de atitude da empresa, vamos conhecer os principais no próximo tópico.

O que causa advertência no trabalho?

As causas de advertência no trabalho podem ser muitas.

Todavia, existem algumas muito comuns no cenário de trabalho brasileiro, são elas:

Uso de celulares e redes sociais no horário de trabalho

Advertência no trabalho: Celulares

Um dos principais motivos de punições nos últimos anos é, sem dúvidas, esse.

Afinal, as pessoas muitas vezes negligenciam o trabalho para ficar no celular.

Dessa forma, o ideal é conversar com os funcionários sobre a real necessidade do uso do aparelho.

Fofoca

Advertência no trabalho: Fofoca

Infelizmente, muitas empresas perdem ótimos colaboradores por causa de fofocas.

Nesse sentido, é preciso estar atento(a) a rotina de todos e sempre conferir se há muitos boatos pelos corredores.

Assim, recomendamos que você dialogue com os líderes e gerentes e impeça que esse tipo de “erva daninha” cresça.

Faltas não justificadas

Ademais, as faltas não justificadas podem sim ser passíveis de advertência.

Caso sejam muitas, isso pode gerar até uma demissão com justa causa.

Vale lembrar que 30 dias de faltas sem atestado médico indica abandono de trabalho.

Muitos atrasos

Advertência no trabalho: Muitos atrasos

Sob o mesmo ponto de vista, você deve punir os atrasos.

É claro que uma vez ou outra ocorrem imprevistos.

Todavia, se os atrasos persistirem é necessário conversar com o colaborador.

Uso de roupas inadequadas

Outro ponto que precisa ser evitado no ambiente de trabalho é o uso de qualquer tipo de roupa.

Ou seja, recomendamos que haja um uniforme ou que você estabeleça peças como um tipo de padrão.

Por exemplo, blusa branca e calça jeans.

Insubordinação às normas da empresa

Além disso, é passível de penalidade a insubordinação.

Assim, se o colaborador se envolver em bate-boca, discussões e evitar realizar tarefas, precisa ser notificado.

Baixo rendimento e falta de interesse

Alerte o seu funcionário(a) que está desinteressado e desleixado.

Ou seja, é importante conversar com aquela pessoa que não produz como antes.

Como funciona a advertência no trabalho?

A advertência no trabalho funciona como um sinal para o colaborador.

Ou seja, é um primeiro indicador de que a postura dele(a) não está de acordo com as normas da empresa.

Assim, indicamos que a advertência seja feita com muita clareza e com bastante diálogo.

Desse modo, o funcionário pode repensar seus atos e melhorar o que está deixando a desejar.

Curiosidade: qual o prazo para aplicar advertência?

Segundo a legislação trabalhista do nosso país, o prazo para a aplicação desse tipo de punição é de 72 horas.

Todavia, se a advertência não ocorrer nesse período, fica entendido que não houve erro.

Ou mesmo que a companhia perdoou o colaborador por seu ato.

Quais os tipos de advertência no trabalho?

Agora, conheça melhor os tipos de advertência no trabalho:

Advertência verbal

De antemão, saiba que esse tipo de advertência é uma das mais comuns.

Desse modo, é uma conversa entre um líder ou gestor e o colaborador que cometeu uma infração.

Assim, faça tal advertência com os seguintes cuidados:

  • O funcionário jamais deve ser humilhado;
  • Não faça esse tipo de ação na frente de outras pessoas. Afinal, posteriormente, tal exposição pode gerar processos judiciais;
  • Ademais, pontue os erros do empregado e verifique o que está havendo de errado.

Advertência Escrita

Já a advertência escrita precisa conter em detalhes o que o colaborador fez de errado.

Além disso, ela precisa ter duas vias: uma é da empresa e a outra do funcionário.

Caso o empregado se recuse a assinar o documento, 2 testemunhas devem fazer isso.

Ah! Recomendamos que antes da advertência escrita, você faça uma advertência verbal.

Afinal, às vezes uma boa conversa basta para colocar as coisas “no eixo” novamente.

Suspensão (balão)

A suspensão ou “balão” é comum em casos de empregados que cometem erros várias vezes.

Esse tipo de punição significa retirar o funcionário da empresa por um tempo.

Ou seja, ele é suspenso e perde direito ao pagamento dos dias em que não estará na empresa.

Por ser algo mais sério, sempre indicamos que tal punição seja feita depois de conversas e de advertência escrita.

Demissão por justa causa

Por fim, se o funcionário não melhorar o comportamento, é hora de pensar em uma demissão por justa causa.

Nesse sentido, essa é uma medida extrema e que nós indicamos que seja estudada com calma.

A lei brasileira possui normas para demissão por justa causa.

Em resumo, converse com o RH antes de tomar tal atitude, combinado?

Afinal, quem pode dar advertência no trabalho?

Saiba que a advertência no trabalho tem aplicação pelos:

  • Chefes;
  • Gestores;
  • Supervisores;
  • Gerentes;
  • De modo geral, qualquer pessoa que ocupe cargo de chefia.

Contudo, recomendamos o bom senso sempre.

Ou seja, se você é um novo supervisor ou acabou de se tornar gerente, converse com um superior sobre eventuais problemas.

Afinal, talvez uma conversa baste para deixar o ambiente de trabalho mais agradável e produtivo.

Advertência no trabalho: assinar ou não?

Inicialmente, é bom salientar que o colaborador não tem obrigação de assinar a advertência.

Ou seja, ela tem o direito (assegurado por lei) de não assinar o documento.

Nesse caso, o aplicador da punição deve chamar outras pessoas (02 testemunhas) para confirmar a recusa.

Assim, essas testemunhas deverão assinar a advertência no lugar do funcionário.

Em alguns casos, com uma boa conversa, você pode explicar para o empregado que assinar o documento não é danoso a ele.

Afinal, o papel serve apenas para documentar a punição.

Assim, o mais importante é que ele(a) reavalie a sua postura na empresa.

O que acontece se o funcionário não assinar advertência?

Conforme citamos anteriormente, nada pode acontecer ao funcionário que se recusa a assinar esse documento.

Nesse sentido, após as 2 testemunhas assinarem, a advertência pode ser entregue a ele (uma via).

Já a segunda via, você vai arquivar normalmente no RH.

Desse modo, caso persistam problemas com esse mesmo colaborador, haverá provas de que o mau comportamento é reincidente.

Ou seja, se depois disso o funcionário não melhorar, ele precisa ser suspenso e em alguns casos, demitido.

Como usar corretamente as advertências no trabalho?

Estamos chegando ao fim do nosso artigo de hoje.

Assim, precisamos falar com clareza sobre as formas corretas de você realizar uma advertência no trabalho.

Dessa forma, a advertência é uma opção para melhorar as ações do funcionário.

Ou seja, se você é dono da empresa ou líder, entenda essa situação como:

  • Esse pode ser o momento de “virada de chave” do colaborador. Nesse sentido, explique o que seu funcionário(a) precisa melhorar;
  • Em contrapartida, não aponte os defeitos do empregado e não o acuse. Lembre-se de que tratar uma pessoa mal ou acuá-la jamais é uma boa opção. Em resumo, mantenha a calma e aja dentro da lei (nunca exponha ou grite com ninguém);
  • Em casos de erros graves, como roubos e assédio, é possível demitir com justa causa imediatamente o empregado. Isso evita desgaste e mal estar na equipe. Verifique quais ações você deve tomar e converse com o setor jurídico da sua empresa;
  • Por fim, tenha um Manual de Conduta da empresa e deixe claro quais são as normas da sua organização. Isso evita muitos problemas e os colaboradores saberão o que podem ou não fazer dentro do ambiente de trabalho.

Curtiu o post de hoje sobre a advertência no trabalho e suas principais características?

Fique de olho em nosso portal para mais notícias e informações sobre gestão e o mercado!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You May Also Like